Portada del sitio > Hemeroteca > "Xeque ao Rei"

Sic Noticias, 30 mayo 2013

"Xeque ao Rei"

Jueves 6 de junio de 2013, por Redacción

- Grande Reportagem de hoje apresenta Xeque ao Rei, uma viagem aos casos polémicos que têm abalado a confiança dos espanhóis na monarquia. As cortes espanholas discutem uma lei de transparência que terá reflexos na Casa Real. Hoje, nenhuma entidade pública tem poderes para fiscalizar a corte. Os jovens, com uma taxa de desemprego próxima dos 60 por cento, são os mais críticos.

Grande Reportagem "Xeque ao Rei"

Grande Reportagem SIC

Abalada por escândalos, a monarquia espanhola vive a maior crise de sempre, em 38 anos de reinado de Juan Carlos I. Uma Grande Reportagem para ver no Jornal da Noite, esta quinta-feira.

O genro do Rei, o campeão olímpico Iñaki Urdangarin, é suspeito de ter usado indevidamente 6 milhões de euros de dinheiros públicos. A alegada fraude teve repercussões na Casa Real que chegaram ao próprio Rei. A infanta Cristina, mulher de Urdangarin, chegou a ser constituída arguida. Foi, entretanto, despronunciada mas a suspeita ainda permanece.

A filha mais velha, Elena, divorciou-se do financeiro Jaime de Marichalar. Chegou ao fim aquele que muitos consideraram o casamento perfeito.

Ao escândalo do genro do rei juntou-se a caçada aos elefantes no Botswana. Na caçada, Juan Carlos caiu e fraturou uma anca. Pediu desculpas a Espanha mas não conseguiu escapar à crítica do povo.

A SIC entrevistou amigos do rei, o porta voz da Casa Real, políticos de todos os quadrantes, biógrafos e académicos para apurar o futuro da monarquia. O debate está na rua. Os jovens exigem a queda do rei, mas os mais velhos, aqueles que têm mais de 40 anos, afirmam-se juancarlistas. São republicanos mas apreciam Juan Carlos; têm memória do papel que o rei desempenhou na transição de Espanha para a democracia.

Uma luta de gerações com o Rei no centro; um futuro insondável...

A nova lei de transparência, em discussão nas cortes espanholas, promete fiscalizar, finalmente, a monarquia de Espanha. Atualmente, nenhuma instituição pública tem poderes para monitorizar a casa real... os escândalos alimentam-se dessa opacidade.

Um trabalho de Pedro Coelho e José Silva (imagem), edição de Ricardo Tenreiro e grafismo de Patrícia Reis:

Sic Noticias

(6 de junio de 2013)